O esporte está cada vez mais associado ao bem estar, à felicidade, à busca de uma qualidade de vida. Enquanto isso na contramão a bebida alcoólica cresce como uma grande vilã nos estudos que apontam causas de violência no trânsito, nos lares e até em ambientes criados especialmente para as práticas desportivas como os estádios de futebol.
Enquanto deveríamos estar buscando a implantação de uma cultura de paz nas nossas praças esportivas, com o objetivo de reduzir os registros de violência e o retorno das famílias aos estádios, no Ceará, a Assembleia Legislativa,na contramão de tudo isso, está colocando em votação um projeto de lei que viola a Constituição Federal e o Estatuto do Torcedor.
Durante toda a semana, os integrantes do Movimento Brasil sem Drogas reforçam as ações e mobilizações, em Fortaleza, para sensibilizar a sociedade e autoridades para os riscos da aprovação da Lei que autoriza a venda de bebidas alcoólicas nos estádios cearenses.  A liberação do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol está atualmente em discussão na Assembleia Legislativa do Ceará, através do Projeto de Lei 85/2019 e pode entrar em votação no próximo dia 28, quinta-feira.
“Queremos mobilizar a população para marcar presença e lotar a Assembleia Legislativa e esclarecer sobre os perigos da venda de bebidas em estádios, espaços propícios a exaltações e atos de violência. Vamos visitar gabinete por gabinete e sensibilizar os legisladores e mostrar a indignação do povo cearense com esse projeto de lei. O objetivo é impedir que os parlamentares eleitos pelo povo para trabalhar pelo bem estar e segurança da população façam um gol contra. Muitos deputados acham que será muito fácil aprovar. Queremos criar esse enfrentamento junto com o povo, as entidades de luta e prevenção às drogas, comunidades terapêuticas, junto com o Ministério Público Estadual e mostrar que a sociedade repudia a referida iniciativa parlamentar.”, afirma o advogado e coordenador do Movimento Brasil Sem Drogas, Roberto Lasserre.
Segundo dados da OMS, o consumo de álcool mata mais de 3,3 milhões de pessoas por ano no mundo. Em Fortaleza, a comercialização já é proibida pela lei 9.477/2009, aprovada pela Câmara Municipal de Fortaleza, mas não está sendo efetivada por total falta de fiscalização do executivo municipal. A Lei proíbe, em dias de jogos, o consumo e a comercialização de bebida alcoólica num raio de cem metros dos estádios.